O que é melhor pra um canhoto(a) ?


#1

É muito comum essa dúvida de quem começa a tocar e é canhoto:
Inverter as cordas ou aprender a tocar sem alterar o ukulele?

Talvez seja mais fácil inverter as cordas, mas isso fará com que você não consiga tocar os ukuleles dos seus amigos quando você for ao ukeday, por exemplo. E ninguém vai conseguir tocar o seu também.

Você é canhoto(a) ou conhece um? O que você acha?

images%20(6)


#4

O ideal, para mim, seria a inversão. Todas os materiais sobre ukulele falam sobre a sequência padrão de baixo para cima de cordas nas afinações tradicionais 1.A 2.E 3.C 4.A e acho que isso atrapalharia muito no aprendizado do uker canhoto pois o “dedo x” não iria mais na “casa x”.


#5

É, isso não tinha pensado, na referência dos numeros das cordas. Me pergunto se os desenhos dos acordes também dificultam o entendimento, será? Acho que sim, né


#6

Olá pessoal tudo bem gosta de deixar aqui minha opinião, então já dei aulas para canhoto e não vi dificuldade para ensinar da forma tradicional lógico que o raciocínio muda pelas cordas estarem em outra posição mais a interpretação dos desenhos ou shapes continua normal tanto para destros como para canhotos.


#7

Os instrumentos de corda tem essa questão de poder inverter as cordas, mas existem casos em que quem é canhoto toca como destro ou ainda, a pessoa é canhota e apenas muda o instrumento de lado mas mantém as cordas na posição de quem é destro…
Acho que o mais importante é o conforto pra quem toca.


#8

Essa é uma questão que não existe uma fórmula pronta. Diversas sugestões podem ser usadas e os resultados também serão diversos. No entanto, como uma opinião pessoal sugeriria que tocasse como destro, ainda mais se a pessoa estiver começando. No início nenhuma das duas posições, (canhoto ou destro), aprenderam nada ou pouco aprenderam. Sendo assim, acredito que um canhoto vai aprender tranquilamente a tocar como destro.


#9

Exato! Esta questão pra mim foi resolvida a alguns dias atrás pois uma cliente, preocupada com isso, me perguntou sobre. Prontamente respondi e ela feliz agradeceu mal sabendo ela que me abriu o olho para algo ainda não questionado e debatido. Parabéns por esse artigo. Que venham outros.